220 anos sobre a execução de Luís XVI na guilhotina

A Execução de Luís XVI na guilhotina é considerado um dos acontecimentos maiores da Revolução Francesa,teve lugar a 21 de Janeiro de 1793, às 10h20, em Paris, sobre a Praça da Revolução (antiga Praça Luís XV, transformada em 1795 na actual Praça da Concórdia).

A execução do Rei foi motivada pela tentativa de fuga da Família Real do País, o que marcou verdadeiramente uma alteração na Revolução, que evoluiu para um banho de sangue sem paralelo na História . A confiança entre o soberano e seu povo foi definitivamente quebrada. O rei foi acusado de traição e essa foi a principal causa do processo de acusação aberto pela Convenção em Dezembro de 1792 e que culminaria com a morte de Luís XVI na guilhotina.

Luis XVI

«Chegado ao pé da guilhotina, Luís XVI considerou um instante os instrumentos de seu suplício e perguntou a Sanson se os tambores cessariam de bater. Ele se aproximou para falar. Foi dito aos carrascos que fizessem seu dever. Enquanto lhe colocavam as cilhas, ele gritou : “Povo, eu morro inocente !”. Em seguida, virando-se para os carrascos, Luís XVI declara : “Senhores, sou inocente de tudo o que me inculpam. Espero que meu sangue possa cimentar a felicidade dos Franceses”. O cutelo caiu. Eram 10 horas e 22 minutos. Um dos assistentes de Sanson apresentou a cabeça de Luís XVI para o povo, enquanto elevava-se um grande grito de : “Viva a Nação ! Viva a República !” e que ressoava uma salva de artilharia que chegou até às orelhas da família real encarcerada» relato do executor

Madame de Staël :«Este homem que não tinha força necessária para preservar seu poder, e que fez duvidar de sua coragem enquanto tinha necessidade dela para rechaçar seus inimigos ; este homem cujo espírito naturalmente tímido não soube nem mesmo acreditar em suas ideias, nem mesmo adoptar as de outro, mostrou-se totalmente capaz da mais espantosa das resoluções, aquela de sofrer e de morrer»

O comentário daquela que foi uma das maiores defensoras da Monarquia Constitucional e opositoras de Napoleão é acertado: O processo de execução de um Monarca já havia sido antecedido pela decapitação de Carlos I de Inglaterra , na Revolução Puritana, 140 anos antes da execução de Luís XVI. Em ambos os casos ocorreu após a tentativa de fuga do Monarca e em ambos os casos deu origem à implantação de uma República.No caso Inglês foi efémera, no caso Francês marcou o início do colapso das Monarquias Absolutas e a transição das Monarquias para o modelo constitucional, a par com a ascenção das Republicas :dai ser a Revolução Francesa o pilar da Doutrina anti-Monárquica

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s